1. TugaTech » Internet e Redes » Noticias da Internet e Mercados

Siga-nos

Realize o Login na sua conta ou Registe-se para participar.



Ainda não tinha chegado oficialmente ao mercado português e já circulava em muitas mãos, o tablet PC da Apple. Com o lançamento oficial, convenientemente concretizado antes do Natal, multiplicam-se os conteúdos nacionais disponíveis.

Hoje "deitámos o olho" às propostas informativas, depois de semanas recheadas de anúncios, protagonizados por algumas das publicações mais conceituadas da cena nacional. Da economia ao social, passando pelo desporto, já pode informar-se em português, de iPad em punho. Às vezes com, outras vezes sem custos.

O Diário de Notícias é uma das publicações já na era iPad. A aposta no tablet da Apple faz-se por via indirecta, uma vez que a aplicação que lançou recentemente foi desenhada a pensar na visualização através do iPhone e iPod Touch. Contudo, também pode ser usada no iPad.

Esta aplicação permite aceder à edição online, percorrer as diversas noticias, entrar nas secções, ver o tempo por distrito ou consultar as farmácias de serviço. A pesquisa e partilha de notícias (no Facebook ou Twitter) também é possível, como mostra o jornal num vídeo que colocou online quando lançou a novidade.



Do mesmo grupo, O Jogo também pode ser visto a partir do tablet da Apple, mas tal como acontece com o DN para aceder à aplicação é necessário, não apenas descarregá-la, mas também fazer um registo onde se escolhe o modelo de subscrição pretendido, que vai desde a edição avulso (0,79 euros), à subscrição anual, que custa 99 euros. Antes de cumprida esta tarefa não é possível navegar nos conteúdos disponibilizados.

O Público é outras das publicações generalistas já com lugar reservado na loja de aplicações da Apple para a plataforma e propõe dois meses de acesso gratuito aos seus conteúdos naquele suporte. Após esse prazo, o serviço passa a ser pago.

Além de permitir a leitura dos artigos publicados pelo jornal, a aplicação permite guardar temas nos favoritos, para consulta ou partilha posterior. Permite ainda a realização de comentários - como também se pode fazer na edição online - ou dar feedback à redacção. Os conteúdos são apresentados em três colunas. A informação detalhada está ao meio, os tópicos à direita e à esquerda a publicidade e as opções já referidas de partilha ou comentários.



Depois de uma borla bem sucedida, a Visão avançou em Dezembro para uma versão para iPad exclusiva, sublinhando que foi a primeira revista nacional a fazê-lo.

A publicação do grupo Impresa estreou-se no iPad com uma aplicação gratuita que conseguiu em algumas horas transformar-se na App portuguesa mais descarregada da loja.

A versão "à séria", com conteúdos exclusivos, chegou entretanto e está disponível por 0,79 euros. Tal como a versão em papel, tem actualização de conteúdos uma vez por semana.

Quem tenta instalá-la começa por ficar impaciente, porque o processo é longo - pelo menos no nosso caso, que experimentámos ainda com a demo gratuita - mas vale bem a pena esperar. O esquema de apresentação de conteúdos é bastante bom, torna a visualização fácil e intuitiva e optimiza muito bem o espaço de ecrã. As instruções, vai encontrá-las online, mas podemos adiantar que foi escolhida uma prática combinação de movimentos em que é preciso descer para continuar a ler um artigo e desfolhar (que é como quem diz, passar o dedo da direita para a esquerda) para mudar para um artigo seguinte. É prático e evita enganos. Ver toda a revista rapidamente também é possível, escolhendo directamente o artigo que interessa.

A paginação que a Visão levou para o iPad é a da revista, mas os elementos adicionais são vários e imprimem valor acrescentado à versão. Se há uma música que se anuncia, pode lá estar o som para a ouvir. Se um entrevistado explica algo, pode lá estar o registo oral para o explicar melhor. Ou, mesmo, as imagens de um test drive já resumido num artigo de texto.

A App da Visão já foi aliás distinguida internacionalmente, este ano. A consultora McPheters & Company considerou-a uma das melhores do mundo na área de media. Nós também achamos que vale a pena experimentar.

Na imprensa económica O Jornal de Negócios acaba de se estrear no iPad. Nesta edição tablet, que liderava esta manhã o top de downloads gratuitos da loja da Apple, o jornal explica que apostou numa presença autónoma das edições online, impressa e WebTV, embora pretenda cruzar conteúdos de todas elas.

Quem descarregar a aplicação poderá navegar por secções onde estão arrumados textos, fotografias e vídeos. Há ainda opinião e especiais empacotados para o iPad, também com direito a secções próprias. A arrumação das notícias é simpática mas, pelo menos agora, só encontrará texto na plataforma. O acesso a todos os conteúdos desta versão do Jornal de Negócios para iPad disponíveis é gratuito.



O concorrente Diário Económico já está no iPhone (onde o Jornal de Negócios não está) mas ainda não chegou ao iPad. Em Dezembro o director da publicação afirmava num artigo que a aplicação para iPad seria lançada em poucas semanas. Outra estreia prometida para o início do ano e ainda não concretizada é a do Expresso, que em breve também chegará ao tablet.

Entre as promessas já concretizadas, destacamos ainda o Sol. A aplicação do semanário (que existe para o tablet e para o smartphone da Apple) foi lançada no início do último trimestre do ano passado. Permite navegar entre notícias, opinião, desporto, sociedade, ou temas, onde são apresentadas as várias secções. Há ainda uma secção dedicada a notícias de Angola.

A transição entre secções é suave e a apresentação dos conteúdos correctamente adequada ao formato, permitindo uma boa experiência de navegação que, neste caso, se mostra com páginas apresentadas lado a lado, preenchidas de notícias, onde é possível carregar.

Para quem está mais virado para a actualidade da vida social o iPad também já tem opções em português. A Caras acaba de chegar ao tablet e promete oferecer uma forma diferente de ver notícias, naquela plataforma. Tal como na versão impressa, na versão para iPad a imagem ocupa lugar de destaque. O acesso via iPad a cada exemplar da Caras, com publicação semanal, é de 0,79 euros.




Os mais interessados em notícias sobre o mundo das telecomunicações não devem esquecer que a revista da APDC já está disponível para o iPad e também numa lógica de tentar adicionar valor acrescentado à versão online, face à tradicional edição em papel e aos conteúdos que já tinha online.

Fechamos com uma solução para quem pretende assegurar uma visão mais global da actualidade, consumível em breves minutos: a Banca Sapo. A aplicação surgiu meses antes do iPad estar à venda no mercado português e leva para o tablet da Apple um serviço que já estava disponível online. Tal como acontece com as restantes Apps aqui referidas e disponibilizadas há mais tempo - provavelmente já fora da lista das mais populares - basta uma pesquisa por nome para as encontrar.

Aqui é possível consultar as capas da imprensa para um leque bastante variado de publicações, entre imprensa nacional, regional, desportiva, negócios, internacional, revistas, entre outras áreas.

Aceitam-se opiniões sobre a experiência de utilização, destas ou outras aplicações em português, já disponíveis na plataforma da Apple. Sejam elas de download gratuito, como acontece com todas as propostas que partilhámos, ou pago.


Sapo TEK







Aplicações do TugaTechAplicações TugaTechBlog TugaTechBlog do TugaTechRSS TugaTechRSS do TugaTechSpeedtest TugaTechSpeedtest TugatechHost TugaTechHost TugaTech