1. TugaTech » Internet e Redes » Noticias da Internet e Mercados

Siga-nos

google safe browsing

 

O Chrome e vários outros navegadores garantem proteções de segurança contra sites de scam e phishing, alertando os utilizadores quando estes tentam aceder aos mesmos.

 

Isto é realizado a partir de um sistema da Google, conhecido como Google Safe Browsing, e que se encontra integrado não apenas no Chrome, mas também em navegadores como o Firefox através da utilização de APIs externas. No entanto, uma falha que estaria presente neste sistema pode ter levado a que muitos websites maliciosos não fossem identificados como tal por parte da plataforma.

 

Um conjunto de investigadores revelou que, após realizar analises alargadas ao sistema, muitos websites maliciosos não estariam a ser identificados como tal por parte do Google Safe Browsing, permitindo aos utilizadores acederem aos mesmos sem qualquer impedimento. Normalmente os websites deviam apresentar uma mensagem de erro no navegador, a informar os utilizadores do potencial conteúdo danoso dos mesmos.

 

Em confirmação, a Google revelou que a falha estaria nas próprias APIs do Google Safe Browsing, e que estaria em falha desde meados de 2017 até final de 2018. Durante este período, muitos websites conseguiram escapar dos bloqueios deste sistema. A falha foi originalmente integrada pela Google em mudanças na API feitas em 2017, que tinham como objetivo reduzir os dados consumidos pelo Google Safe Browsing em dispositivos móveis.

 

 

A falha foi, entretanto, corrigida, sendo que os websites que não estariam a ser identificados como maliciosos devem agora ser bloqueados quando os utilizadores tentam aceder aos mesmos – em todos os navegadores para dispositivos móveis onde as listas do Google Safe Browsing são utilizadas, não apenas no Chrome.







Aplicações do TugaTechAplicações TugaTechBlog TugaTechBlog do TugaTechRSS TugaTechRSS do TugaTechSpeedtest TugaTechSpeedtest TugatechHost TugaTechHost TugaTech