1. TugaTech » Hardware » Análises, Dicas e Artigos sobre Hardware

Siga-nos

Realize o Login na sua conta ou Registe-se para participar.

Analise ASRock ION 330HT-BD
Fonte Zwame por Nemesis11
EMBALAGEM

Na parte frontal ficamos já com uma ideia da caixa. Existe em preto e branco e ficamos a saber que esta versão é a que trás a drive Blu-Ray. Há uma versão com DVD-RW. Para quem tiver uma PS3 por exemplo pode ser uma boa opção.



Parte superior.




Laterais





Principais especificações que já vamos detalhar



Interior:



Podemos ver na parte superior uma peça preta que serve para colocar por baixo da caixa como antiderrapante e para evitar os riscos na caixa.

CD com drivers e alguns programas além de algum software proprietário da ASRock. São eles:

ASRock OC Tuner - permite fazer overclocking dentro do Windows. Não testamos OC porque o objectivo é manter o sistema o mais silencioso possível. Têm muito mais opções na BIOS para fazerem OC e é a opção que recomendamos se quiserem mesmo fazer overclocking.

ASRock Instant Boot

Adobe Acrobat Reader
Norton Internet Secuity - trial
CyberLink DVD Suite - trial
BADABOOM Media Converter - trial

E agora vamos ao Hardware:

EXTERIOR:



Dimensões:

Frontal
Podem ver o botão de ON/OFF e o leitor de Blu-ray. Há uma versão com DVD-RW.
Têm uma opção na BIOS em que podem desligar a luz do botão de Power e o led do disco. A opção chama-se Good Night LED e vem desligada.



Traseira:



Em pormenor da esquerda para a direita:











Interior:



Leitor de Blu-ray



Especificações do Leitor de Blu-ray



Disco:



Interior sem o disco e o leitor de Blu-ray.



Reparem que o cabo que liga ao leitor e ao disco é alimentado pelo mesmo conector de 4 pinos que está ligado à board.

Pormenor do cabo:



Podem ver os dois conectores SATA e a alimentação para os mesmos a meio. Mais abaixo à direita o módulo de LAN Wireless.
Mais abaixo ao centro o cooler do Northbridge onde está o ION e à direitaum cooler mais pequeno com uma ventoinha de 30 mm que arrefece o processador.

Na parte inferior têm mais um conector SATA e os dois módulos de memória SO-DIMM. Vinham dois dimms de memória de 1GB mas é possível colocar 2x2GB. Para mediacenter não parece necessário.



Além da ventoinha para arrefecer o processador a caixa tem uma ventoinha que fica na parte posterior visível na imagem seguinte de 50 mm.



Passemos à board:



Pormenor da parte superior onde estão os dois conectores SATA e a meio destes a alimentação do disco e do Leitor de Blu-ray


Podem ver os dois conectores SATA e a alimentação para os mesmos a meio. Mais abaixo à direita o módulo de LAN Wireless.
Mais abaixo ao centro o cooler do Northbridge onde está o ION e à direitaum cooler mais pequeno com uma ventoinha de 30 mm que arrefece o processador.

Na parte inferior têm mais um conector SATA e os dois módulos de memória SO-DIMM. Vinham dois dimms de memória de 1GB mas é possível colocar 2x2GB.


Além da ventoinha para arrefecer o processador a caixa tem uma ventoinha que fica na parte posterior visivel na imagem seguinte, de 50 mm



O sistema é extraordinariamente silencioso. Numa medição com uma aplicação do iPhone e com o barulho exterior superior ao do equipamento o resultado médio foi de 12 dB. Mas não foi de todo uma medida que se possa chamar rigorosa. É apenas indicativo.

Acessórios:


Também trás um conversor HDMI - DVI que por lapso não está na imagem anterior:



Pormenor do comando:




----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Que sistema operativo instalar?

Esta questão é mais pertinente do que se possa pensar à primeira vista. Até porque com cada opção há alguma concessão que é feita. Sabemos que se queremos o hardware todo a funcionar e aqui a questão principal é o comando só em Windows é que o conseguimos fazer. Por outro lado a opção windows implica uma licença que custa dinheiro. Tem outras questão que falamos mais adiante.

Se escolhemos a opção XMBC Live temos um aparelho que apenas vai servir para mediacenter. Vamos perder a vantagem de termos o comando e ler Blu-ray que não é suportado.

A opção Linux + XBMC é boa mas perdemos, tal como no caso anterior, o Blu-ray e o comando. A vantagem sobre o Live é que continuam a ter um computador onde podem fazer tudo e quando quiserem usar o XBMC. Segundo a ASRock estão a desenvolver um driver para Linux para que o comando passe a funcionar.
De referir que tanto no XMBCLive como na instalação Linux + XBMC vão ter suporte para aceleração gráfica pelo que a experiência de ver filmes em alta definição é excelente.

WINDOWS

Instalamos o Windows 7 Ultimate para correr alguns testes de modo a ver como seria o comportamento e em particular se o Comando funcionava.

Em Windows não há muitas surpresas. Testamos de forma mais exaustiva algumas questões de acordo com o feedback que tinhamos pedido no tópico que citamos logo no início desta análise.

A ASRock disponibiliza no CD os drivers para o comando que funciona sem problemas tanto no Windows Media Player como no XBMC. A informação que vem com o manual dá a entender que é necessário um receptor que se liga a uma porta USB mas não necessita de qualquer acessório. Apenas que se instalem os drivers que estão no CD

O XBMC em Windows ainda não aproveita a gráfica da nVidia pelo que utilizamos o CyberLink mas que como vimos vem no CD mas é apenas uma trial por 30 dias. O software custa 120 dólares pelo que não é a melhor solução.

Não vão ter grandes problemas com muitos filmes que vão querer ver mesmo no XBMC mas até que saia a versão que aproveita o ION não há uma solução fácil para resolver esta questão. Pelo menos barata. O XBMC não demorará muito a ter uma versão que aproveite o ION mas até lá tem que se esperar.

Para simular a experiência numa sala ligado a uma televisão Full HD ligamos o Mediacenter a um monitor de 24'' que faz 1920x1020 via HDMI e o som foi ligado via S/PIF a um Amplificador YAMAHA RX-V540RDS que suporta DTS onde estão ligadas 5 colunas e um sub woofer. Tudo funciona correctamente.











O CIR Driver é o driver do telecomando.







Reparem nas diferenças de temperatura entre o OCCT e o aplicativo da ASRock.





Leitura de Blu-ray
Como seria de esperar não houve qualquer problema. O processador variou entre os 7 e os 14%. O som é perfeito pela saida digital. Podem controlar tudo calmamente sentados no sofá com o comando.

Ficheiros a 1080p

Como já foi dito o XBMC em Windows não aproveita o processamento da gráfica ainda pelo que em alguns filmes vão ter problemas. O CyberLink é excelente mas como já referimos também a versão que acompanha o equipamento funciona apenas durante 30 dias. Depois disso é necessário comprar o software.
Esta questão da leitura dos ficheiros em full HD é provavél que mude num futuro próximo. Editaremos a análise se assim for para a actualizar.

XBMC Live

Basicamente podem correr o XBMC Live a partir de um CD. A limitação é que não vão poder gravar qualquer alteração. A alternativa é instalar numa pen não é muito simples. Podem ver um tutorial aqui: http://forum.zwame.pt/showpost.php?p...51&postcount=1
Não fizemos testes desta forma para poder dar feedback. Além disso esperamos ter um tutorial da versão que actualmente está em beta para disponibilizar a todos em breve.

UBUNTU + XBMC

Para testar desta forma utilizamos o Ubuntu 9.10 que saiu em Outubro, na sua versão 64 bits. A instalação decorreu sem qualquer problema. Tudo é reconhecido correctamente desde o wireless até à placa de som. A saida S/PIF funciona correctamente pelo que também vão ter suporte para 5.1.

Instalar o XBMC no Ubuntu são 4 linhas de comando como podem ver aqui: http://xbmc.org/wiki/?title=HOW-TO_i...-by-Step_Guide

No terminal escrevem cada uma das linhas seguintes e de seguida carregam no enter:

sudo add-apt-repository ppa:team-xbmc

sudo apt-get update

sudo apt-get install xbmc

sudo apt-get update

Tão simples quanto isto.









Dual boot

Uma das questões que se podem colocar é porque não ter instalado Windows e Linux em dual boot. Pode ser feito e desde que instalem primeiro o Windows 7 e de seguida o Ubuntu não vão ter qualquer problema. Ele por defeito passa a arrancar para o ubuntu mas têm no arranque a possibilidade de seleccionar o Windows. O segredo é instalarem o Windows primeiro. Também e nos updates do Ubuntu ele vai fazer um update ao grub mas pergunta se desejam actualizar a versão do grub. Preferimos não o fazer por não saber se isso nos deixaria com um sistema em que depois não conseguiriamos arrancar com o Windows sem ter que recorrer á linha de comandos. A ideia foi não alterar algo que estava a funcionar.


CONSUMO

O peso que o consumo tem é diferente de pessoa para pessoa, no entanto a verdade é que mais consumo também é seguido por aumento da temperatura e aumento do ruído. Não é algo linear mas sem dúvida que quanto mais consome mais quente costuma correr e caso não aconteça isso é porque o sistema de arrefecimento é mais eficaz mas para isso ou se recorre a água ou se é a ar acabamos com um cooler muitas vezes maior do que todo este sistema. Por este motivo não fizemos OC. Não aumentamos o cooling naturalmente e depois para aquilo que era pretendido em nenhum momento a falta de processamento foi problema. O problema foi na falta de software que aproveitasse a gráfica.
O consumo variou entre 30,81W e os 40,46W após 30 minutos a correr o OCCT (não faz uso da gráfica pelo que o consumo é superior a ler ficheiros 1080p). Em utilização diária foi frequente ver 32W. O pico em termos de consumo que observamos foi 47,06W a ler um vídeo Full HD de uma pen drive.


Uma das questões que nos colocamos foi comparar a leitura de Blu-ray neste sistema e numa PS3. Para quem tem PS3 já tem um sistema que lê Blu-ray. Tal como no caso do ASRock tem uma saida HDMI e uma saida de audio digital pelo que a diferença neste caso é ver a diferença em termos de consumo. A diferença está no gráfico seguinte.





É uma diferença assinalável para este tipo de utilização. Não quisemos de forma nenhuma comparar os dois equipamentos porque a sua finalidade é bem diferente.



CONCLUSÃO

Há muito que gostar neste ASRock 330HT. É pequeno, discreto, tem um leitor de BR. A combinação do processador com o ION é perfeita para utilizar como Mediacenter. Além disso tem WIFI com norma n, comando, portas USB mais que suficientes, Gigabit e eSATA alimentado a pensar numa pen eSATA como já é possível encontrar. Todos os pontos cobertos para uma excelente experiência silenciosa e contida no consumo energético. Onde existe espaço para melhoria é em termos de software a utilizar mas claramente o software gratuito mostra-se excelente.

Um aspecto que não testamos por não ter samples foi a questão das legendas. No entanto é claro que com um equipamento destes não ficamos agarrados a lançamento de firmwares ou outros. Este é um computador que pode facilmente ser actualizado. Um bom exemplo de como é o software que muitas vezes tem que acompanhar o hardware é a questão do flash. A Adobe já tem em beta uma versão que utiliza o processamento da gráfica o que vai melhorar em muito a experiência de utilização de cada um de nós com ficheiros em flash. Quem tem um netbook sabe do que estamos a falar.

Pontos positivos:
- Silêncio
- Performance
- Leitor de Blu-ray
- Comando
- S/PIF

Pontos negativos:
- Comando não funciona em Linux







Aplicações do TugaTechAplicações TugaTechBlog TugaTechBlog do TugaTechRSS TugaTechRSS do TugaTechSpeedtest TugaTechSpeedtest TugatechHost TugaTechHost TugaTech